• “Ter informação de qualidade pode ser determinante para o paciente entender o seu diagnóstico”, diz presidente do Instituto Lado a lado pela Vida

    “Ter informação de qualidade pode ser determinante para o paciente entender o seu diagnóstico”, diz presidente do Instituto Lado a lado pela Vida

    Marlene Oliveira estará presente na terceira etapa do Fórum de Debate de Acesso ao tratamento de Câncer e conta tudo nessa entrevista exclusiva

    Nesta quarta-feira (17) o Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI), em parceria com o Grupo de Apoio aos Portadores de Câncer de Cachoeiro de Itapemirim (GAPCCI) promovem o terceiro e último Fórum de Debates sobre o Acesso ao Tratamento ao Câncer. Desta vez será em Cachoeiro, no auditório do Hotel Bristol, a partir das 8h.

    Esta edição contará com a presença especial da presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira, que falará sobre a Importância das Associações de Pacientes no Combate ao Câncer. Ela adiantou um pouco sobre sua participação nesta entrevista exclusiva.

    1 – Conte-nos um pouco sobre o trabalho do Instituto Lado a Lado pela Vida.

    Trabalhamos com a multiplicação de informações sobre saúde cardiovascular, câncer e saúde do homem. Promovemos campanhas de conscientizações sobre a importância da prevenção, do diagnóstico precoce e as atuais possibilidades de tratamento. Criado em 2008, nós temos liderado debates entre o poder público e a iniciativa privada, a classe média, sociedade civil e profissionais de saúde sobre questões relevantes que impactam a saúde dos brasileiros.

    2 – O que o público pode esperar de sua participação no fórum?

    A minha abordagem será focada na importância do fortalecimento das associações de pacientes no combate ao câncer. Acreditamos que a informação e o empoderamento não podem ser apenas do paciente, mas sim, das instituições que o assistem. Vivemos um momento de muitas inovações no tratamento do câncer, dificuldades de acesso e ter informação de qualidade pode ser determinante para o paciente entender o seu diagnóstico as fases do tratamento até a superação.

    3 – Como espera contribuir para que o evento seja um sucesso?

    Levando para todos os participantes a experiência do Instituto Lado a Lado em Políticas Públicas voltadas para o câncer, a jornada do paciente e este novo cenário que estamos vivendo com a renovação do poder legislativo.

    4 – Porque esse debate é importante?

    A informação e o conhecimento na área do câncer têm mudado e se ampliado constantemente. A cada dia surgem novidades e temos hoje, o que chamamos, de “A Nova Cara do Câncer”, não só focado nas novas tecnologias, mas também no novo perfil dos pacientes.

    5 – Como vai ser a sua participação no evento?

    A minha participação será no sentido de levar informação e contribuir para que todos os participantes possam ser empoderados sobre o tema. Quem ganha com isso, ao final, são os pacientes.