• “Pacientes oncológicos não devem interromper o tratamento”

    “Pacientes oncológicos não devem interromper o tratamento”

    Diante da pandemia do Covid-19 (Coronavírus), a recomendação primordial para combater o avanço da doença é o isolamento social. Ficar em casa tem se mostrado eficaz nessa luta. Porém, há pessoas que têm a necessidade de quebrar um pouco essa reclusão, pois estão em um momento delicado de suas vidas, o que, segundo a médica oncologista do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI), pode comprometer os resultados.

    Estamos falando dos pacientes oncológicos. O HECI, centro de referência no tratamento clínico e cirúrgico da doença, possui uma unidade de quimioterapia e de radioterapia com cerca de 600 pacientes em tratamento. A recomendação é que esses pacientes continuem realizando o tratamento normalmente, comparecendo às consultas marcadas e fazendo os exames  necessários. “Mesmo eles sendo uma população de risco, a gente considera que o risco de descontrolar a doença é muito pior que o coronavírus, então pedimos que somente saiam de casa para realizar o tratamento”, alerta a Dra. Sabina.

    De acordo com o médico oncologista e coordenador do setor de quimioterapia, José Pulido, há ainda outros 600 pacientes que já estão na fase de acompanhamento que são aqueles que fazem uso de medicação continuamente, porém em casa. É o tratamento conhecido como Hormonal, que podem aguardar diminuir os riscos da pandemia, desde que a medicação não seja interrompida “Pedimos que o paciente solicite ao algum familiar que venha buscar o remédio no setor e se resguarde em casa”, orienta.

    Aos pacientes que estão em revisão, a orientação é que não compareçam aos setores. Suas consultas estão sendo remarcadas, pois a Sociedade Brasileira de Oncologia entende que neste momento a prioridade são aqueles pacientes que já estão em tratamento ou que estão iniciando o tratamento. “Quem faz químio, radio ou está em investigação da doença, estão sendo priorizados neste momento”, finaliza.

    Os pacientes oncológicos devem seguir as mesmas recomendações que toda população: sair em casos de extrema necessidade, neste caso para atender as consultas e os tratamentos, estar sempre usando máscaras, higienizar as mãos constantemente, evitar contato com a boca, nariz, olhos e ao retornar a sua casa, retirar imediatamente a roupa, lavar as mãos com água e sabão e fazer uso do álcool em gel. “A máscara é muito importante, pois ela funciona como barreira para lembrar ao paciente dos riscos de tocar o rosto”, reforça a médica.

    Além disso, é imprescindível que os pacientes oncológicos em geral não recebam visitas de pessoas com sintomas gripais ou que tenha suspeita de qualquer doença viral que possa ser transmitida para ele. “Esses pacientes devem manter a risca o isolamento social e somente sair no momento do tratamento”, ressalta Dr Pulido.