• Hospital Evangélico promove encontro de Prematuros

    Hospital Evangélico promove encontro de Prematuros

    Novembro não é somente azul no Heci. Também se colore de roxo para lembra o mês da prematuridade e celebrar o 17 de novembro, Dia Mundial da Prematuridade.

    Este ano, a equipe da maternidade, UTIN e UADCNEO preparou uma programação com atividades que lembrem às mamães e papais que chegar adiantado e passar por todos os percalços que se passa por isso, nem sempre é um problema.. “Cada dia é uma vitória para essas famílias, que entregam os seus pequeninos nas mãos de pessoas maravilhosas”, comenta a Dra. Andressa Mussi, cardiopediatra e coordenadora da UTIN da instituição.

    No dia 11, próxima segunda, haverá o tradicional encontro dos prematuros no auditório do Hospital, a partir de 13h30. É um momento em que as mamães e papais trocam experiências, alegrias, angustias e lembram os momentos difíceis, porém superados com seus pequenos guerreiros. Muitas histórias assim preenchem os corredores do terceiro andar do Hospital. Pais e mães que esperam aflitos a hora da visita, por aquele momento de estarem com seus pequenos guerreiros, por notícias reconfortantes, pela hora de ir embora para casa e começar a vida conforme tinham planejado.

    No dia 12, o hospital promove um dia de beleza e uma sessão de fotos para as mamães da UTIN E UADC NEO com as parceiras Fotografa Valeria Vargas, Espaço Criança Feliz e Espaço Isabela Barcelos. No auditório, a partir das 13h.

    E no dia 13, a Casa de Apoio do Coração, que também recebe as mamães de alto risco, será palco da oficina de artesanato em EVA com Joseane dos Santos, a partir das 9h.

    Referência

    O Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim é referência em atendimento à gestante de alto risco, conta com uma moderna Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) e uma equipe multidisciplinar qualificada no atendimento humanizado.

    Atualmente, a Utin do Hospital Evangélico possui 15 bebês internados sendo 13 nascidos prematuramente, ou seja, antes de 36 semanas de gestação. “Esses bebês são realmente muito fortes. Eles nos superam, superam toda a medicina. Dá muito orgulho fazer parte disso”, conta Dra. Andressa.