• Hospital Evangélico é referência em Cirurgia Bariátrica no Sul do Estado

    Hospital Evangélico é referência em Cirurgia Bariátrica no Sul do Estado

    Foto: Erika Medeiros

    Em todo Brasil, dia 11 de outubro é dia de falar sobre a prevenção da obesidade. E o Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI) é referência em cirurgia bariátrica desde 2000 quando foi credenciado pelo Ministério da Saúde a realizar o procedimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O primeiro procedimento foi realizado em 20 de maio de 2000 e desde então atende a diversos pacientes, de várias partes do Estado, que são acompanhados mensalmente pelos especialistas que atuam no Programa de Obesidade.

    Hoje faz média 40 cirurgias por mês. Somente em 2017 foram realizados 374 procedimentos cirúrgicos. Cerca de 700 pessoas estão em tratamento, numa estrutura montada especialmente para o programa, com consultórios para atendimentos, devidamente equipados e quartos apropriado para a internação.

    Todas essas pessoas entraram no programa da mesma forma. Após o diagnóstico de obesidade e com indicação para cirurgia, o paciente é encaminhado ao Ambulatório de Obesidade do hospital, preenche um cadastro e participa de uma palestra informativa com o médico coordenador do serviço Dr. André Mattar, que explica tudo sobre obesidade e todas as suas nuances, além de mostrar ponto a ponto sobre os procedimentos da cirurgia.

    “A obesidade não tem cura, mas tem controle. Quando controlada, consegue-se amenizar ou até mesmo evitar uma série de outras doenças”, explica André, que salienta que a cirurgia bariátrica não é feita por questões estéticas e sim, de saúde. Essa palestra acontece no Hospital Evangélico toda primeira segunda-feira de cada mês.

    Também participam de reuniões a psicóloga Emanuelle Ervatti,  nutricionista Jamilla Moulin e a Assistente Social Marcelle Bandeira. Depois disso, deve aguardar o agendamento da consulta de avaliação inicial, que devido a grande procura, pode demorar até um ano. Atualmente quase duas mil pessoas aguardam por essa consulta.

    Passo a Passo

    Uma vez avaliado, o paciente passa por todo um protocolo de preparo pré-operatório, participando de palestras e reuniões em grupo. Faz uma bateria de exames e se estiver tudo bem é encaminhado para a cirurgia. Esse tempo varia muito, de acordo também com o próprio paciente. O acompanhamento pós cirúrgico dura 18 meses. “O sucesso de todo o programa depende do paciente tomar a consciência de que precisa mudar os seus hábitos alimentares, praticar exercícios físicos e fazer o acompanhamento médico e nutricional corretamente. Caso contrário, vai engordar tudo de novo, ”alerta Dr. André. O programa já conseguiu tirar da obesidade aproximadamente duas mil pessoas.