• Hemocultura Automatizada no Laboratório do Hospital Evangélico

    Hemocultura Automatizada no Laboratório do Hospital Evangélico

    Equipamento foi adquirido com emenda parlamentar liberada pelo Senador Ricardo Ferraço

     Mais uma conquista do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI) através de emenda parlamentar do Senador Ricardo Ferraço. Desta vez a verba no valor de R$100.000,00 veio destinada à compra de um Sistema Automatizado de hemocultura, para o Laboratório de Análises Clínicas do Hospital.

    De acordo com o coordenador Técnico do Laboratório do HECI, Wilmar Pinheiro Junior, este equipamento é destinado a exames que pesquisam bactérias e fungos no sangue e líquidos cavitários através do uso de frascos de cultura específico. “Apresentam grande vantagem em relação às metodologias manuais, principalmente no que se refere à rapidez dos resultados e à diminuição do trabalho técnico”, destaca Wilmar.

    Ele enumera ainda os benefícios do equipamento para a liberação de exames, como: Contínuo monitoramento pelo sistema (leitura em minutos); maior sensibilidade e rapidez para detecção de positividade da amostra; possibilidade de criação de banco de dados dos microrganismos isolados, além do interfaceamento com o sistema do hospital; menos risco de contaminação laboratorial e economia de tempo e material.

    Como o exame é usado?

    Hemoculturas são usadas para detectar a presença de bactérias ou fungos no sangue, para identificar os micro-organismos presentes e orientar o tratamento. Em geral, são pedidas duas ou mais hemoculturas e colhidas como amostras consecutivas. Com frequência, o médico pede também um hemograma para determinar se a pessoa tem aumento da contagem de leucócitos no sangue, indicando uma possível infecção. Podem ser feitos outros exames, como culturas de urina, de escarro ou de líquido cefalorraquiano, para identificar a origem da infecção inicial, quando a pessoa tem sintomas associados com infecção urinária, pneumonia, ou meningite.