• Feijoada Solidária no Novembro Azul

    Feijoada Solidária no Novembro Azul

    O Hospital Evangélico registra mensalmente 20 novos pacientes com câncer, um total de 240 ao ano

    Mais um evento para falar sobre prevenção de câncer de próstata da Campanha Novembro Azul do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI) e Grupo de Apoio aos Portadores de Câncer de Cachoeiro de Itapemirim (GAPCCI). Desta vez de uma forma bem saborosa. É a Feijoada Solidária, que acontece neste feriado, 15 de novembro, a partir das 08h00 no Clube dos Médicos.

    Haverá um torneio de futebol com expectativa da presença do ex goleiro do Fluminense Ricardo Pinto e  toda a renda será para a ampliação da Casa de Apoio aos Portadores de Câncer de Cachoeiro de Itapemirim (GAPCCI).

    “O nosso grande objetivo é a conscientização de que é importante estar atento com a saúde”, ressalta o urologista Dr. Hernane Schwartz. Os antecipados ingressos custam R$50,00 e estão sendo vendidos na Radioterpia e GAPCCI. Serão vendidos na hora do evento também.

    O Instituto Nacional do Câncer estima que em 2017 serão cerca de 61,2 mil novos casos. O Hospital Evangélico registra mensalmente 20 novos pacientes com câncer, um total de 240 ao ano. “Por se tratar de uma doença silenciosa, o diagnóstico precoce é a melhor ferramenta para a cura do câncer de próstata”, afirma o Dr. José Zago Pulido, oncologista do HECI.  O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais acomete homens em todo os pais. O primeiro é o de pele.

    Conheça o jogador

    Ricardo Pinto nasceu em Cachoeiro em 23 de janeiro de 1965 e iniciou sua carreira nos gramados na década de 80. Jogou em grandes Clubes como Fluminense, Cerro Porteño, Americano, União São João, Corinthians, Atlético, Inter de Limeira, Iraty, Goiás, pendurando as chuteiras pelo Joinville em 1997.

    Grande parceiro da causa Novembro Azul, está sempre presente nos eventos para ajudar a chamar atenção para a prevenção ao câncer de próstata. A prevenção pode ser feita pelos exames de toque retal e PSA que juntos podem diagnosticar a doença precocemente e assim as chances de cura ser próxima as 100%.