• Cantinho da Oncologia

    Cantinho da Oncologia

    Um local usado como depósito, sem uma função oficial, pode ser transformado em um lugar onde pacientes oncológicos encontrarão “um acolhimento mais familiar que produz bem-estar físico e emocional o que viabiliza o encorajamento ao enfretamento da doença de forma mais tranquila e com mais qualidade”? Para a arquiteta do Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim  (HECI) Isabela Romanelli, os médicos do Instituto de Oncologia (IOSC) Sabina Aleixo, José Pulido, Anderson Zerbone e Paulo Brunoro e a Madeireira Ervatti isso é possível sim.

    Carinhosamente chamado de “Cantinho da Oncologia, e definido supra pela psicóloga Rosita Gaspar, o local reformado tem aproximadamente 30 m² e está ao lado do bunker da Radioterapia, no segundo andar do Hospital. Até o início da reforma, era usado como apoio serviços gerais, abrigando de condensadoras do sistema de climatização, depósito.

    “Foi observado a demanda por um espaço humanizado, onde os pacientes da Clínica Oncológica (situada ao lado desse local) pudesse pegar sol, conversar com seus familiares, deambular (o que é indicado clinicamente) e espairecer. ”explica a arquiteta.

    Após um bate papo com os médicos, resolveu-se construir um solarium. Trata-se de um local descoberto reservado ao banho de sol.

    “O Iosc então participou financeiramente do projeto, assim como a Madeireira Ervatti, que tem sido parceira do hospital há muito tempo. A empresa Garden Rio, loja especializada em decoração nos prestou assessoria com relação aos materiais e empresas para o mobiliário. ” Comenta Isabela.

    Para a oncologista Sabina Aleixo, a chegada deste espaço é de grande valia para o tratamento dos pacientes do Hospital já que alguns pacientes passam longos períodos dentro do quarto, sem ver luz natural. “Esse cantinho denota ao paciente uma sensação de fuga dessa sensação de fechado já que ali ele tem luz do sol, verde e pode interagir com outras pessoas que não estão ligadas a medicamentos. É muito interessante e tem feito muito sucesso. ” Disse.

    E a proposta era essa mesmo. “Transportar” o paciente para o jardim de casa para a varanda, para um bate papo descontraído, para pegar um sol, entre as plantas do quintal. Fazê-lo esquecer um pouco do ambiente hospitalar. E esse objetivo foi atingido. Com o apoio do IOSC, da Madeireira Ervatti e a empresa Garden Rio a quem somos imensamente agradecidos.